Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Secções
Ferramentas Pessoais

ROSA VAZ EXPÕE PINTURA NA BIBLIOTECA MUNICIPAL DE BARCELOS

2019-05-25 17:00 2019-06-29 12:30
Entrada Livre

Rosa Vaz vai comemorar os seus trinta anos de pintura com uma exposição na Biblioteca Municipal de Barcelos que será inaugurada, no próximo sábado, dia 25 de maio, pelas 17h00. Será ainda apresentado o seu livro de poemas “Pele de Nua”. “Malanjina de nascença, o coração batendo entre Angola e Portugal, cedo se dedicou à linguagem das Artes, onde a Pintura e também a poesia lhe preencheram muitos dos espaços criativos. Veste-se de tons de fogo, terras vermelhas com cheiro a lavra, azuis de mar, e ocres de horizonte e, olha-nos com solenidade, de sorriso em punho e silêncios em verso em cada olhar que pinta.” - escreveu Luís A. Beleza Rosa Vaz desde cedo manifestou o gosto pelas artes: desenho, pintura, dança, música e poesia.

Filha de pai originário de Monção, no Norte de Portugal e de mãe angolana, de Huambo, teve a sua infância em Angola, Malange, onde nasceu. Veio para Portugal na altura da guerra civil e foi viver para Monção, onde estudou no liceu até partir para o Porto, para a Universidade. Depois mudaria o seu rumo para Braga, onde concluiu os estudos e se radicou. Pintora e promotora Cultural da Lusofonia e Africanidade. É autora de textos poéticos.

Vive e trabalha em Braga. Desenvolve o seu trabalho de pintura, em acrílico, óleo, pintura cerâmica, pintura têxtil e pintura de murais cerâmicos. Ilustradora, também.

As suas raízes africanas e o registo do movimento das cidades temperam as suas temáticas exaltando os vermelhos e laranjas, ou os azuis e ocres, cores terra, castanhos e amarelos como se de sílabas pintadas se tratasse.

Organizadora de vários eventos culturais, entre eles a ‘Semana de África de Braga‘‘ e “Conversas Desconcertantes”.

Expõe há 30 anos e está representada em várias coleções particulares e públicas. Expôs em Monção, Melgaço, Vigo, Corunha, Villa Garcia de Arosa, Ferrol, Santiago de Compostela, Guimarães, Porto, Esposende, Lisboa, Caminha, Valença, Montemor-o-Novo, Póvoa de Lanhoso, Coimbra, Vieira do Minho, Fafe, Braga, Barcelos, Sousel, Viana do Castelo, Bragança, Vilnius, Newark, entre outros locais.

Ao olhar para a pintura desta “feiticeira” das policromias encantatórias da África e da Angola profundas lembro-me por deferência da poesia das cores dos mestres da pérola do Índico Roberto Chichorro e Bertina Lopes e da policromia geométrica do mestre angolano Eleutério Sanches.” - disse Delmar Gonçalves.

A exposição estará patente ao público até ao dia 29 de Junho, podendo ser visitada, de segunda a sexta-feira, das 9h30 às 18h00 e aos sábados, das 9h30 às 12h30.


41.53019339381329,-8.61955912783742