Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Secções
Ferramentas Pessoais

LIVRO “ENTÃO FOI ASSIM” DE ANTÓNIO MAGALHÃES VAI SER LANÇADO NA ...

2018-09-14 21:30 23:50
Entrada Livre

“Então Foi Assim”, um livro de narrativas de António Magalhães, vai ser lançado na Biblioteca Municipal de Barcelos, na próxima sexta-feira, dia 14 de Setembro, pelas 21h30. O livro e o autor vão ser apresentados pelo professor Mário Patrão, da Escola Secundária Alcaides de Faria. A sessão contará ainda com a participação do actor Armindo Cerqueira e do pianista António Godinho.

Segundo Mário Patrão, que prefaciou a obra, na origem deste livro, está o amor às origens, o amor à Terra Negra, que motivou uma investigação sobre a edificação da actual igreja de Santa Eulália de Negreiros, freguesia deste concelho.

“História e ficção, lenda e realidade, cruzam-se neste pequeno livro, escrito numa prosa franca e directa” para “evocar um passado que precisa de ser evocado”, baseado em acontecimentos ou personagens das terras da freguesia de Negreiros, “tradições e costumes que percorreram gerações”.

António Martins Magalhães nasceu na freguesia de Negreiros, concelho de Barcelos, em 23 de Junho de 1935. Frequentou os seminários franciscanos, onde estudou Humanidades, Filosofia e Teologia. Iniciou a actividade docente em 1976. Frequentou, de 1978 a 1980, o curso de Línguas e Literaturas Modernas na Faculdade de Letras da Universidade do Porto. De 1980 a 1982, profissionalizou-se nas disciplinas de Português, Latim e Grego na Escola Secundária Oliveira Martins, no Porto. Interrompido o curso de Letras, frequentou e concluiu o curso de Humanidades na Faculdade de Filosofia de Braga, em 1987. Foi professor de Português na Escola Secundária Alcaides de Faria, até Julho de 2000, onde orientou o estágio pedagógico ligado à Universidade do Minho, durante cinco anos.

Em 1972, ganhou o “Prémio Capitão Simões Vaz”, de reportagem, instituído pelo “Notícias” de Lourenço Marques.

Tem colaboração dispersa por diversas publicações, nomeadamente nas revistas “Amanhecer”, “Avenida do Minho” e jornal “A Voz do Minho”. “O Galo da Lenda”, um dos contos vencedores do concurso literário promovido, no ano de 1994, pela Câmara Municipal de Barcelos, integra a colectânea “Pedras no Rio do Tempo”.

Publicou “Barcelos Verde Minho” (1987), “A Voz do Vento” (2001), colectânea de contos que mereceu uma menção honrosa do Prémio Literário da Câmara Municipal de Barcelos, em 2000, “Margens para um Rio” (2010), uma colectânea de contos inéditos  e “Moçambicando” (2016).


41.5304626033841,-8.62002990663143

MÚSICA NO SALÃO 2018

2018-01-07 21:30

Valorizando o património musical, a Câmara Municipal de Barcelos promove um ciclo de concertos no Salão Nobre dos Paços do Concelho, intitulado ...